terça-feira, 10 de setembro de 2013

Em busca da velha maldita

 Eu estava decidida, iria embora de qualquer jeito. Não que eu não gostasse de andar com eles, eu os amava e aindo amo é claro, mas eles são completamente insanos. Eu não podia morrer outra vez, precisava descobrir quem eu era e se minha vida tinha um sentido afinal. Eu estava decidida...

  Era noite estávamos todos no Jarráh. Lembro deles saindo, não me avisaram onde iam, nunca avisavam do mesmo. E o que eu podia fazer? Protestar e lembrar que eu também tenho sentimentos, que eu também tenho vontade própria? Que seria justo eles pensarem em mim de vez em quando? Não, isso seria apenas desperdício de tempo, e eles pareciam com pressa e bastante tensos. -O que será que aconteceu?

  Depois algumas horas e canecas de vinho a mais, vejo que eles haviam voltado, estavam todos ali, não peraí...não estavam todos, faltava o feioso, onde estava o Killua? Em seu lugar havia um homem gigante, sujo e barbudo. -''Onde diabos vocês foram? Quem é esse mendigo? Cadê aquele Orc mal educado? Sabe, explicações são sempre bem vindas!'' Ao invés disso, apenas os cumprimentei.

- Temos uma missão para você Kiara! -Lunah me dizia com um sorriso, era tão difícil vê-la sorrindo, já os outros não faziam o mesmo, estavam nervosos. O que quer que havia ocorrido lá não era brincadeira.


-Missão?

-Precisamos que vá para Meridiana, busque a velha de lá e leve-a ate o Véu Noturno, é simples.

Lembro de estar tão confusa, ou talvez tenham sido as tantas canecas, é pensando assim, creio que foram as canecas mesmo.

  Então ela me deu um breve resumo do que havia acontecido, Killua havia sido pego como refém de um grupo de assassinos e esses mesmos assassinos precisavam dessa velha pra ressuscitar o rei, caso contrário...

De repente me vi desesperada, queria tira-lo de lá o mais rápido possível, queria livrar todos eles desse Véu, sair dessa cidade de uma vez e ir pra algum lugar seguro. Mas e o meu plano inicial? E as minhas vontades como ficam?
Dias antes de chegarmos a Mercantia havia jurado a mim mesma que teria amor próprio e nunca mais botaria os outros na minha frente, que seria dona das minhas próprias decisões. E fico contente em dizer que funcionou perfeitamente... em teoria é óbvio.
 Mas agora, eu tento, juro por tudo que tento com todas as minhas forças, mas eu simplesmente não consigo, eu não quero abandona-los, não posso, eles são tudo o que eu tenho e só de pensar que algo de ruim podia acontecer a eles meu estômago já embrulhava.

- Não se preocupe, eu vou ate lá.

Era manhã e estava me preparando para partir, Lunah havia me arrumado uma escolta, um carinha engraçado, não parecia ter mais de 20 anos e não tinha um braço. Hei, eu conheço esse cara, uns dias atrás ouvi uma canção ao seu respeito, como era mesmo? Assim:

                Quem é ele que chutou o traseiro dos meliantes?
                     - é o herói de Mercantia!

Então eu estava viajando com um herói, nada mal.

  Subimos no cavalo, Lunah foi a primeira a se despedir, eu gosto dela, no começo a achava insuportável, para ser honesta até hoje ela continua insuportável, mas eu gosto dela mesmo assim. Em seguida veio o Anadon, nossa ele me dava arrepios, lembro que me deu uma adaga e me desejou boa sorte. Que maravilha! Então quer dizer que o zumbi é adorável? Senti vergonha de mim mesma por ter medo dele e te-lo tratado tão mal de inicio.
Esperei pelos próximos, faltava o Mitaro e o Ark, na verdade eu não esperava nada do Mitaro, nunca fomos amigos e a única vez que tive contato com ele foi quando ele socou meu rosto. Mas o Ark sim, ele era meu melhor amigo e até então o único motivo deu continuar no grupo. E quando ele nem olhou pra minha cara, senti vontade de chorar e depois de bater nele e em mim mesma.

  Eles não se importavam, estavam me dando essa ''missão'' apenas para se livrar de mim, não acreditavam que eu pudesse ajudar em algo sério. -''Nós vamos para o deserto, entrar num vulcão e pegar as memórias do Ark, enquanto isso tu pode ir a cidade do lado e trazer uma velha né?''
Dei meu melhor sorriso e seguimos rumo a Meridiana.

  Eu sou uma otária mesmo
!

3 comentários:

  1. Que melhor amiga mais ingrata. Ja te provei minha amizade, até te dei a honra de pentear meus cabelos e trançá-los...

    S2!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha, havia me esquecido, perdão vossa alteza.

      Excluir