segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Cantiga de um assassino qualquer


A vontade de sangue me toma
O grito dos aflitos é minha paz
Tormento de almas sem perdão
Minha lança atravessará o seu pulmão


*

Nenhum comentário:

Postar um comentário